Você sabe como lean startup pode melhorar seus resultados?

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

É fato que o mundo da administração vive em constante atualização. Nesse sentido, quem começa um novo empreendimento pode ficar perdido em meio a tantas ideias e inovações. Sabemos que lançar um negócio é sempre um ato arriscado, mas que tem tudo para dar certo quando o processo é feito com base em técnicas e metodologias que funcionam — como é o caso da lean startup. 

Você já ouviu falar nesse termo? Sabe o que ele significa e como tem ajudado as startups ao redor do mundo a prosperarem? Você vai descobrir a resposta dessas e de outras perguntas sobre o assunto no post de hoje. Vamos lá? 

Entenda o que é lean startup 

Lean startup (ou startup enxuta, como na tradução livre para o português) é uma metodologia criada pelo empreendedor do Vale do Silício Eric Ries. Seu principal objetivo é diminuir os gastos e desperdícios e aumentar a eficiência dos empreendimentos. 

Diferentemente do modelo tradicional de gestão — que envolve a criação de um plano de negócios, apresentação da ideia a possíveis investidores, captação de recursos e formação da equipe para, somente então, lançar o produto no mercado —, a lean startup apresenta ao empreendedor novos conceitos, que veremos adiante. 

Além disso, ela defende a experimentação e a opinião do cliente. Isso porque o negócio que se baseia na metodologia em questão vai ao mercado consultar a opinião de potenciais consumidores sobre aspectos como características do produto, preços, estratégias e até mesmo canais de distribuição. Tudo isso permite a geração de resultados viáveis com rapidez e eficiência.

Confira os princípios da metodologia

Diferentes princípios são utilizados nessa metodologia. Veja só:

Produto mínimo viável (MVP)

O Produto Mínimo Viável (em inglês, Minimum Viable Product) é nada mais nada menos que o protótipo do produto que você deseja lançar no mercado.

Ele serve para auxiliar o time a coletar o máximo de informações e aprendizados sobre a opinião do público sem muitos esforços — já que o princípio, aqui, é evitar a criação de gastos desnecessários ou que não sejam de interesse para o consumidor.

Teste A/B

O teste A/B se baseia em um experimento no qual diferentes versões de um mesmo produto são oferecidas simultaneamente a dois grupos de consumidores. O objetivo da prática é analisar a diferença de comportamento entre essas pessoas e, por meio desse feedback, entender exatamente o que o público prefere. 

Métricas úteis

Quando realmente úteis e não de vaidade, as métricas ​​permitem a tomada de decisões de negócios mais assertivas. Isso porque elas utilizam dados e informações estratégicas que realmente farão sentido para o trabalho da startup, aumentando, assim, as suas chances de sucesso. 

Pivot

Trata-se de uma mudança significativa no curso de um produto, com o objetivo de testar novas hipóteses, estratégias e mecanismos de crescimento. O pivot pode, então, ser visto como a necessidade de um novo MVP para ser testado. 

De modo geral, os princípios da lean startup são bastante simples. É preciso entender que o excesso de desenvolvimento do plano de negócios leva à desmotivação do time e a produtos caros e nem sempre viáveis. 

Por outro lado, um desenvolvimento mais rápido e enxuto pode lançar um produto rapidamente no mercado, já que terá em mãos informações reais sobre a sua aplicabilidade.

Veja as empresas que usam essa metodologia

Diversas empresas fazem uso dessa metodologia. Conheça algumas:

Grandes empresas no mercado

Você sabe o que Facebook, Amazon, Uber, Zappos, Dropbox e Groupon têm em comum? Todas elas começaram como startup e utilizaram a metodologia lean, sobretudo o princípio da criação de um MVP. 

A norte-americana Groupon, maior empresa de compras coletivas do mundo, é o que é atualmente porque utilizou a metodologia lean startup. Seu primeiro MVP consistia na venda de camisetas, mas a resposta do público não foi positiva. 

A partir disso, foi feito um pivot para o modelo atual. A proposta era a oferta de duas pizzas pelo preço de uma, com cupons simples gerados em PDF e enviados para o e-mail do consumidor. Como a resposta foi positiva, o modelo foi comprovado e foram feitos aperfeiçoamentos até chegar à versão que conhecemos hoje. 

Um exemplo local

Tallis Gomes, criador do Easy Taxi (aplicativo de smartphone que chama o táxi gratuitamente com apenas um toque) afirma ter criado a primeira versão do aplicativo de forma enxuta, ou seja, baseando-se na metodologia lean. 

Segundo ele, foi criado primeiramente um protótipo do serviço (MVP), no qual o pedido do usuário caía direto em seu e-mail pessoal e ele, então, procurava por um táxi disponível. Somente quando percebeu que a ideia era realmente útil para o público e que havia demanda para esse tipo de serviço, foi desenvolvido o aplicativo que conhecemos hoje. 

Aprenda como esse conceito pode ser aplicado

Entenda, a seguir, de que forma essa metodologia pode ser aplicada:

Utilização da contabilidade para inovação

A contabilidade para a inovação mostra como os empreendedores podem maximizar resultados sem deixar de lado a responsabilidade empresarial, a mensuração do progresso e os marcos de planejamento. 

Por meio dela, é possível investir somente naquilo que trará sucesso para o negócio, ou seja, que trará algum tipo de retorno, sendo ele financeiro ou até mesmo pessoal. 

Validação de ideias

A validação é certamente um dos pontos-chave da metodologia lean startup, já que um de seus objetivos é focar naquilo que os clientes realmente querem.

Sendo assim, não dá para contar somente com o que você e sua equipe acham que seria interessante — é preciso validar ideias, inclusive, constantemente, tornando possível a realização de ajustes até alcançar o que o público almeja. 

Essa validação pode ser realizada de diversas formas, sendo realizadas com base nos princípios que citamos anteriormente (MVP, testes A/B, métricas e pivot).

Lembre-se sempre de que é melhor fazer isso do que lançar um produto que não vingará e somente resultará em gastos desnecessários. Como já disse Eric Ries, o método de criação de uma startup deve ser científico, ou seja, baseado na experimentação. 

Construa, mensure e aprenda 

A eficácia de uma startup é determinada pela sua capacidade de construir um produto minimamente viável com rapidez, mensurar a sua eficácia perante o mercado e, por fim, aprender com essa experiência, tirando o melhor dela para a realização dos ajustes necessários. 

Esse é o ciclo construa-mensure-aprenda, criado para transformar ideias em produtos, analisar o comportamento e reação do público e, com base nisso, decidir se a ideia é ou não viável. Note que ele pode (e deve) ser repetido sempre que necessário. 

Agora você já sabe o que é lean startup e como ela pode ajudar o empreendedor a lançar novos produtos e serviços no mercado. Embora saibamos que não há fórmula pronta para o sucesso, contar com essa metodologia certamente é de grande utilidade para quem deseja prosperar em um novo negócio. 

E você, gostou do artigo de hoje? Restou alguma dúvida sobre o assunto abordado? Deixe seu comentário no post e participe da discussão!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *