5 ferramentas de gestão de pessoas que você deveria usar

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Para uma empresa alcançar os resultados esperados, a preocupação com o seu capital humano é imprescindível. Sendo assim, a área de Recursos Humanos é responsável por utilizar diversas ferramentas de gestão de pessoas importantes para a construção de equipes eficientes.

Trabalhar com essas ferramentas traz diversos benefícios para os colaboradores e seus gestores, desde um ambiente de trabalho mais feliz e saudável, com aumento da produtividade e do cumprimento de prazos e metas, até um verdadeiro desenvolvimento profissional de todos os envolvidos.

Se você trabalha na área de RH ou é gestor de um time, confira abaixo a lista que criamos com 9 ferramentas de gestão de pessoas que você deveria usar!

1. Feedback

Essa é uma ferramenta primordial na gestão de pessoas e pode ser usada tanto de líder para liderado quanto de liderado para líder. O feedback é o momento em que a pessoa, por meio de uma conversa, transmite para a outra as impressões que têm de seu trabalho, levantando os pontos que devem ser melhorados e reconhecendo os pontos positivos observados.

Mesmo já conhecendo o poder do feedback, muitos gestores se atrapalham na correria do dia a dia, deixando-o de lado. Esse é um grande erro, pois um funcionário só vai saber o que precisa melhorar e o que precisa continuar fazendo se tiver um retorno de seus líderes quanto ao seu trabalho. Portanto, planeje-se e aplique feedbacks com frequência!

2. Avaliação 360 graus

A avaliação 360 graus também é uma das ferramentas de gestão de pessoas que pode ser bastante efetiva e destaca-se por ser trabalhada em grupo.

Podem participar e dar feedbacks para o colaborador em questão todos os membros de uma equipe, de diferentes cargos hierárquicos, ou ainda todos os envolvidos em um projeto, incluindo os clientes e os fornecedores.

A avaliação pode ser feita de maneira anônima, e o funcionário receberá apenas as respostas e os feedbacks dados, sem saber quem os escreveu. Essa é uma ótima maneira de ele saber como seu trabalho está sendo percebido pelos seus colegas e de que maneira pode aperfeiçoar sua função na empresa.

3. Avaliação de desempenho

Essa ferramenta serve para avaliar o desempenho dos colaboradores de forma individual ou em equipe. Com isso, você consegue verificar se os funcionários dominam as atividades que exercem ou se necessitam de capacitações adicionais.

O importante é usar indicadores-chave de performance para analisar esse desempenho e acompanhar a evolução de cada trabalhador. Com base nesses resultados, você precisa orientar o funcionário para corrigir eventuais falhas comportamentais ou técnicas. Afinal, uma das grandes vantagens desse recurso é o aprendizado contínuo.

4. Pesquisa de clima organizacional

Para avaliar como anda a satisfação de seus colaboradores e o que pode ser melhorado na companhia, é indispensável realizar periodicamente uma pesquisa de clima organizacional.

Por meio de um formulário completo, com questões que vão desde a percepção sobre a limpeza e a infraestrutura do escritório, o relacionamento com colegas e líderes, o comprometimento da equipe, até a clareza de metas e objetivos da empresa, é possível colher dados valiosos para a melhoria estratégica do clima organizacional. Utilize-os a seu favor!

5. Coaching

Para aplicar o coaching em seus colaboradores, você deve ter a formação necessária para isso, porém, também é possível contratar um profissional de fora para colocar essa estratégia em prática.

O coaching no ambiente de trabalho serve para ajudar o profissional a encontrar suas motivações internas e externas para o desempenho de suas funções, além de reconhecer o seu valor de trabalho e todo o seu potencial a ser desenvolvido, por meio de diversas técnicas aplicadas por seu coach.

Também pode ser usado para a construção de um planejamento de carreira dentro da organização, levando em conta as preferências e ambições do liderado.

Essa é uma ferramenta que vem sendo usada cada vez mais nas empresas, trazendo resultados muito satisfatórios, como um maior engajamento dos colaboradores, qualidade de vida no trabalho e aumento da produtividade.

6. Treinamentos e capacitações

Nada melhor do que trabalhar com algo sobre o qual você tem um amplo conhecimento e segurança para uma tomada de decisões mais assertiva, não é?

Por mais que seus funcionários tenham estudado, sempre há algo novo para aprender e, quando esse aprendizado é direcionado às operações de sua empresa, pode ser ainda mais vantajoso.

Por isso, investir em treinamentos e capacitações funcionais e comportamentais para seus colaboradores é uma forma de reconhecê-los, valorizá-los e deixá-los ainda mais preparados para os desafios do dia a dia. Com isso, todos têm a ganhar!

7. Mentoring

O mentoring é um processo de transferência de conhecimentos. Funciona assim: um profissional mais experiente “apadrinha” um novo colaborador para ensinar a ele a rotina de trabalho. Essa é uma das ferramentas de gestão de pessoas mais relevantes para reduzir a curva de aprendizagem.

A estratégia pode ser utilizada tanto no onboarding quanto para a preparação de funcionários que estão sendo promovidos. No entanto, não basta pegar funcionários com mais tempo de casa para cumprir esse papel.

Os mentores precisam de capacitação específica. Afinal de contas, o facilitador precisa ter habilidades para identificar as forças e fraquezas do pupilo e auxiliá-lo no seu desenvolvimento.

8. Programas de remuneração estratégica

Oferecer uma remuneração competitiva é essencial para atrair e reter os melhores profissionais do mercado. Nesse modelo, além do salário básico, o colaborador pode receber compensações de acordo com o desempenho. Os benefícios podem incluir comissões, adicionais por produtividade, participação nos lucros e resultados, bônus por metas alcançadas, entre outros.

Lembre-se de que essa política precisa ser bem estruturada e com critérios claros para as bonificações. Afinal, o colaborador precisa saber porque está recebendo — ou não — os adicionais. Mas cuidado para não definir metas inatingíveis ou difíceis de mensurar. Caso contrário, o resultado atingido será o oposto do esperado.

Com um planejamento detalhado e realista, você consegue aumentar a produtividade e o engajamento dos funcionários. Pense nisso!

9. Plano de carreira

Se você encara essa estratégia como um gasto desnecessário, é melhor repensar suas prioridades. O plano de carreira é um investimento que dará retorno ao negócio com a atração e retenção de talentos, motivação de colaboradores, aumento na qualidade do trabalho e, consequentemente, melhora nos resultados da empresa.

Esse recurso consiste na estruturação da jornada de cada funcionário dentro da empresa. O programa define os treinamentos e capacitações que o colaborador precisa receber, os cargos que ele deve ocupar e o tempo de permanência em cada um deles.

Sendo assim, o trabalhador terá certeza de que não terá a sua vida profissional estagnada ao permanecer na empresa. Isso porque, ao entrar na organização, ele já saberá exatamente qual é o caminho que precisa trilhar para crescer e melhorar a sua remuneração. Contar com um plano de carreira organizado e transparente garante colaboradores mais motivados e comprometidos com os resultados do negócio. Acredite, faz toda a diferença!

As ferramentas de gestão de pessoas são essenciais para estimular o desenvolvimento profissional dos colaboradores. Além disso, se bem usadas, podem atrair e reter talentos, motivar os funcionários, aumentar a produtividade e garantir que as tarefas sejam executadas com excelência. Adote esses recursos no seu dia a dia e veja os resultados na prática.

Gostou dessas ferramentas? Quer saber mais sobre como administrar o capital humano da sua empresa? Então, veja também os 4 erros na gestão de pessoas e saiba como evitá-los. Você vai aprender a otimizar ainda mais o trabalho da sua equipe!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *