Como eu vou viver no Peru se mal falo espanhol?

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Oi, gente, feliz demais em mais uma vez compartilhar uma história com vocês! Hoje eu vou falar mais da Ruth Mitely, 19 anos e Recifense. E como vocês podem já ter notado pelo título, a Ruth fechou o intercâmbio voluntário dela para o Peru mas, como ela mesma disse,: “mal falo espanhol”, assustador né? Mas vai da tudo certo.

De antemão, pelo desenrolar dessa história, tenho certeza que vocês vão se apaixonar pela história, pela Ruth e pelo Peru. Fica aqui juntinho comigo!

Por que você decidiu fazer intercâmbio voluntário?

Eu sempre pensei em fazer algum intercâmbio na vida, a escolha do intercâmbio voluntário da AIESEC foi muito pela influência da minha irmã que já tinha vivido uma boa experiência como voluntária global e eu decidi que também queria isso para mim. Foi aí que juntei um sonho, que era o intercâmbio, com uma coisa que eu já fazia em Recife e gosto muito, que é o voluntariado e fui viver minha experiência.


E por que Peru?

Bom, eu queria algum país da América Latina, fiquei entre a Argentina e o Peru que escolhi por conta da sua cultura e pela culinária. Além disso, por ser um lugar muito importante historicamente e, claro, por ter a possibilidade de conhecer Machu Picchu – o que pesou muito na minha escolha final.

Olha a Ruth ai em MACHU PICCHU, né mores?

Quais as suas expectativas com o intercâmbio?

Assim que eu fechei meu intercâmbio bateu um leve medo de como eu ia aplicar o projeto na ONG ou escola que eu ficasse, pois mal falo espanhol e também era bem tímida. Mas como eu fechei o intercâmbio com mais ou menos um ano para a realização eu pude me preparar um pouco para a experiência. Por outro lado, minhas expectativas antes da viagem se dividiam entre como seria viajar sozinha pela primeira vez e, também, como eu viveria no país se eu só sabia falar português?
Ah, e, claro, a ansiedade para conhecer Arequipa, uma cidade maravilhosa, que está cercada por três vulcões e deixam a paisagem ainda mais linda.


Conta mais sobre o Projeto que você aplicou na ONG.

O meu projeto foi o Raise Your Voice que tem o objetivo principal de falar sobre bullying, liderança e empoderamento para crianças e adolescentes. Eu fui alocada para realizar o projeto em uma escola e lá a gente recebeu os temas já prontos para que fossem abordados durante as aulas que a gente daria.

Então, o ponto positivo que eu consegui perceber durante o projeto foi que a gente conseguiu mostrar uma outra visão de mundo para as meninas da escola. Dessa forma, trabalhamos temas necessários para aquela comunidade e conseguimos ver uma evolução nos pensamentos das crianças sobre os assuntos abordados.

Momento de perrengues? (sempre tem, certeza!)

Eu tenho dois momentos pra compartilhar aqui. O primeiro foi quando eu e meus amigos estávamos indo para Águas Calientes e fomos fazendo a trilha da linha do trem. Então, começamos a caminhada umas 15h e pensávamos que ia ser bem rápido para chegar na cidade, com isso, a gente ficou tirando foto na trilha e parando muitas vezes para descansar e conversar. Até que começamos a perceber que já estava escurecendo e não estávamos nem perto da cidade. Enfim, ficou escuro e nós estávamos sozinhos na trilha, mas depois alcançamos alguns mochileiros na estrada e conseguimos chegar na cidade duas horas depois do horário que era para a gente chegar.

O segundo foi na final da Copa América que teve o jogo do Peru e Brasil e a gente foi assistir o jogo em um barzinho. Porém de brasileiros só tinha o meu grupo, e os peruanos são muito parecidos com os brasileiros em relação ao futebol. O jogo terminou com o Brasil sendo campeão e seguimos o resto da noite indo pra praça de armas de Arequipa, mas lá estava acontecendo uma comemoração dos peruanos pelo jogo e a gente lá assistindo tudo com bandeira e blusa do Brasil, hahaha. Foi bem tranquilo e a gente até tirou fotos com umas pessoas aleatórias na rua, no final deu tudo certo e todo mundo comemorou.

Fatos curiosos sobre a Cultura local.

Algo bem forte da cultura que eu percebi foi a paixão pelo futebol, como comentei antes e dia de jogo lá era muito parecido com o Brasil, sempre muita festa, música e todos juntos felizes. Outra coisa que me marcou bastante foi perceber como eles são patriotas, eu fiquei em Arequipa durante as festas pátrias do Peru e da própria cidade de Arequipa e quase todas as casas ficam com alguma decoração para as festas. E no dia de Arequipa toda a cidade parou para assistir o desfile que começou durante a tarde e só terminou na madrugada.
Algo da cultura que eu gostei muito e levaria pra vida é usar pimenta em quase todas as refeições, em qualquer lugar que você comer vai ter um molho (Ají) bem apimentado que para mim hoje é maravilhoso.

“Foram com esses brasileiros que eu vivi os melhores momentos da minha viagem. Eles foram meus parceiros em aventuras, festas e também na vida, são claramente as melhores pessoas que eu poderia conhecer no meu intercâmbio.”

Construiu amizades durante a experiência?

Durante o intercâmbio procurava andar com todos e aproveitar para conhecer todas as culturas mas, claramente, eu me aproximei mais de algumas pessoas e foram as mesmas que estavam comigo na viagem para Machu Picchu, porque juntos passamos sufoco fazendo a trilha para Águas Calientes. Com alguns deles eu fiz a trilha para a cidadela de Machu Picchu e também foi com eles que eu fiquei presa em Cusco, outra história. Aproveitamos para ir às festas na cidade mesmo fazendo 3°C.

São pessoas que eu vou levar para a vida. Pretendemos fazer uma trip pelo Brasil só pra visitar todo mundo (Porto Alegre, Cuiabá, Teresina e Recife).


Valeu a pena?

Valeu muito a pena viver toda essa experiência, só em estar aqui escrevendo sobre isso e talvez inspirando pessoas a também viverem isso já é algo muito incrível.

Então, eu desenvolvi muitas coisas durante essa experiência, aprendi um novo idioma (Espanhol), melhorei meu inglês, fiz amizades (além do Brasil, pelo mundo), pude viver a experiência de morar em outro país mesmo sendo por 6 semanas e viver esse tempo como eles vivem. Enfim, pude sentir todo o cotidiano dessas pessoas, conhecer a cultura de um país tão rico em história e em beleza. Foi surreal! Eu amo cada momento que eu vivi no Peru e com toda certeza é uma experiência que vale a pena ser vivida.

Definitivamente, sem palavras. AI, MEU CORAÇÃO DERRETE! Não consigo expressar melhor o que sentir depois de uma experiência como essa. Aproveitem para conhecer mais do Peru, temos um post especial sobre esse lugar mágico.

Se você tem dúvidas sobre como vivenciar o voluntariado, pode ler melhor aqui. Mas se você está atrás de mais histórias inspiradoras, e pode apostar que temos muitas (muitas estão por vir também, AGUARDEM!) olhem as categorias de ping pong ou Jovens líderes, certeza que você vai encontrar histórias reais para acompanhar.

Então, compartilha comigo sua história inspiradora? Estou ansiosa em conhecer mais de você!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *