Juventude que impacta: seu desenvolvimento profissional na AIESEC

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Que a AIESEC é a maior organização mundial gerida por jovens, você já sabia, mas e que ela tem um grande impacto no desenvolvimento profissional dos seus voluntários? Bom, então agora é o momento.

O membro da organização não só tem uma oportunidade de desenvolver liderança em si mesmo e nos outros, mas também muitas habilidades que são cobradas hoje no mercado de trabalho.

Mercado de trabalho: a importância de ser orientada a solução

 

O mercado de trabalho está ficando cada vez mais competitivo e vem exigindo muito dos jovens, por isso muitas habilidades são levadas em conta na hora da entrevista e dinâmica, sendo até mesmo pontos que chamam a atenção e ajudam a se destacar entre os concorrentes.

Uma dessas habilidades tão requeridas é ser uma pessoa orientada a solução. Na AIESEC, ao desempenhar diferentes atividades em áreas distintas – como vendas, marketing e gerenciamento de pessoas – essa aptidão se torna muito mais fácil de desenvolver.

 

Grupo de jovens voluntários recebendo intercambistas
Recepção de intercambistas voluntários feita pelo time da Mari, na AIESEC em Salvador. Fonte: Arquivo pessoal

Mariana conheceu a AIESEC em 2014 durante a semana de caloura da sua universidade, a partir daí sua vida mudou muito. Fazendo seu intercâmbio e entrando como membro da organização dois anos depois, desde então, ela desenvolveu diferentes cargos de liderança na AIESEC em Salvador.

“[…] o cargo me ajudou na vida pessoal e profissional a ter protagonismo. […] aprendi a tomar riscos e a AIESEC me deu adaptabilidade, entender o que o mercado está precisando, me deu um olhar para o mercado externo”, afirma a jovem. A Sênior em People & Management pela Ambev, ainda entende que fazer parte da organização a ajudou a ficar ainda mais focada em encontrar solução durante situações difíceis, além de ter aprendido a gerir pessoas. Para ela, é tudo sobre liderança.

“Eu falo que me formei em Direto pela Federal e me formei em liderança pela AIESEC”

Mari, após ser selecionada no processo seletivo da Ambev. Foto: Arquivo pessoal

Ter boa oratória é um grande diferencial na entrevista

Já para a Verônica, alumni da AIESEC em Chapecó, ter ocupado o cargo de Relações Internacionais e ter contato com pessoas de outros países  -aprendendo ao mesmo tempo sobre outras culturas no processo-, a incentivou a sair da zona de conforto e se comunicar mais.

“Eu lembro até hoje de fazer brincadeiras que antes de entrar na AIESEC eu não sabia falar direito e foi muito legal como todos me incentivaram e me acolheram, dessa forma eu consegui desenvolver melhor a minha comunicação”, ressalta.

“Eu tive contato com muitas pessoas que eu nem imaginei que iria conhecer. Era sempre uma caixinha de surpresas. Na terça eu conversava com alguém da Colômbia e na quarta era com a Turquia. Me enriqueceu culturalmente, reforçou meu segundo idioma e foi isso o que desenvolveu minha comunicação”, declara a ex-AIESECa.

Verônica também aponta o quanto a organização possibilitou a ela ter novas oportunidades profissionais devido ao seu auto desenvolvimento. “Comecei a me mostrar melhor, meus valores, habilidades e funções que poderia exercer para contribuir no mundo corporativo”, finaliza.

Faça parte dessa #JuventudeQueImpacta o mercado de trabalho e veja seu desenvolvimento profissional na prática. Se inscreva aqui e seja um voluntário na maior organização jovem do mundo!

Por Gabrielle Aguiar