Faça sua parte e construa um mundo melhor!

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Por Déborah Milech, gerente de Relações Públicas da AIESEC em Pelotas:

Tenho orgulho de dizer que faço trabalho voluntário. Nasci num país extraordinário, com uma diversidade gigante em praticamente todas as áreas e com potenciais incríveis a serem explorados ainda. E justamente por gostar tanto deste país que eu invisto uma grande energia e contribuo como posso para lutar por um mundo melhor. Vendo tantas coisas que precisam ser melhoradas no mundo como corrupção, desigualdade social, miséria e fome, realizar trabalho voluntário na AIESEC é minha maneira de lutar contra isso e mudar a realidade das futuras gerações. Afinal, só teremos um futuro melhor se arregaçarmos as mangas e enfrentarmos pessoalmente o problema, não é mesmo?

A nossa vida é pautada pela constante preocupação em obter uma colocação profissional que remunere bem, pois esta seria a comprovação do sucesso das pessoas, porém o sucesso vai muito além. O trabalho voluntário pode até melhorar o seu currículo profissional (desde que esse não seja o seu único objetivo dentro da organização), pois empresas e recrutadores têm olhado cada vez mais para os candidatos engajados em projetos sociais, isso porque eles têm maior desenvoltura para lidar com imprevistos, conseguem ser proativos e são mais determinados. Mas posso afirmar para você que algo muito mais satisfatório que uma conta bancária cheia, é poder cuidar e dar atenção a alguém, porque gera valor tanto para quem dá quanto para quem recebe! E já imaginou quantas pessoas diferentes você pode conhecer durante um intercâmbio voluntário? Então porque não aproveitar para ser solidário, ajudar crianças, idosos ou animais e ao mesmo tempo ter a oportunidade de criar amizades e manter contato com pessoas de culturas tão distintas da sua?

Dinâmica durante conferência local.

Pesquisadores de todo mundo também já comprovaram: quem faz trabalho voluntário é mais FELIZ! Ao se dedicar a ajudar os outros, nosso cérebro libera endorfina que provoca em todo o corpo a sensação de prazer e felicidade. Outra explicação é a liberação da ocitocina, que é considerado o hormônio do amor e das relações. Além disso tudo, promove sensação de bem-estar, carisma, afasta o tédio e o estresse, o que faz com que pessoas que fazem algum tipo de trabalho voluntário vivam com mais qualidade de vida e por mais tempo — em média 4 anos a mais comparado a quem não realiza nenhuma ação desse tipo. Quando você fica rodeado de pessoas que não tem muito, você começa a se dar conta que aquelas coisas que parece que você precisa para viver, não são assim tão importantes. Isso pode ser extremamente libertador quando você volta para casa e começa a dar menos valor para coisas e mais valor para viver experiências.

Membros da AIESEC em Pelotas.

Dentro da AIESEC acreditamos em muitas coisas, como educar para a sustentabilidade, gerar inclusão social, reconhecer potenciais, ter capacitação profissional, transformar realidades e estimular liderança. Pensar fora da caixa, amadurecer, mudar o olhar sobre uma situação, melhorar um processo. Ajudar o próximo, ensinar uma habilidade, encontrar sentido na vida e compartilhar amor. E se eu ainda não te convenci a se tornar um voluntário, pergunte a alguém que já fez parte de um voluntariado como foi sua experiência!

Te garanto que assim você também pode ser a estrela que transforma coisas comuns em extraordinárias.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *